Tecnologias têm potencial para cortar as emissões de CO2 em 15% até 2033


As TIC podem ser responsáveis por uma redução de 15% das emissões de gases de efeitos de estufa ao longo dos próximos 14 anos. Um estudo recente da Ericsson mostra que as TIC podem ser vitais na mitigação das alterações climáticas.

Entre dos dias 7 e 18 de novembro, Marraquexe foi o palco mundial do debate sobre as alterações climáticas que cada vez mais assumem lugares cimeiros nas agendas políticas de vários países.

No âmbito da COP22, que contou com a presença do primeiro-ministro António Costa e de uma delegação composta por outros representantes políticos portugueses, a Ericsson procurou explicar de que forma é que as tecnologias podem ajudar a combater os efeitos da crise climática que hoje se vive.

De acordo com um estudo elaborado pela tecnológica sueca, as TIC têm o potencial para reduzir até 15% o volume de dióxido de carbono produzido a nível mundial ao longo dos próximos 14 anos. Este valor representa uma diminuição de cerca de 1.000 milhões de toneladas de CO2 produzidas, o que, segundo a Ericsson, equivale à pegada de carbono combinada da União Europeia e dos Estados Unidos.

A empresa está convicta de que as TIC podem reduzir as emissões de dióxido de carbono em todos os setores industriais e, nas palavras do CEO da Ericsson Maghreb, Rachid Chihani, “está bem posicionada para ajudar as indústrias dos transportes, as empresas de utilities e a segurança pública a identificarem e a aproveitarem as novas oportunidades oferecidas pela Sociedade em Rede”.

Durante a COP22, foi apresentada a Stella Lux, um veículo movido a energia solar desenvolvido pela Solar Team Eindhoven. A Ericsson ficou responsável pela otimização e rentabilidade dos sistemas de navegação.

Deixe um comentário